01/06/2020

Política

CRM ajuíza ação contra Regina Sousa e cobra indenização da vice-governadora

Por Wanderson Camêlo Depois de emitir repúdio contra declarações da vice-governadora do Estado, Regina Sousa (PT), direcionadas à classe médica nacional, o Conselho Regional de […]

Publicado por: Luciano Coelho 08/05/2020, 10:57

Por Wanderson Camêlo

Depois de emitir repúdio contra declarações da vice-governadora do Estado, Regina Sousa (PT), direcionadas à classe médica nacional, o Conselho Regional de Medicina do Estado do Piauí (CRM-PI) decidiu ajuizar ação em que pede uma indenização à gestora. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (06).

A entidade, no processo, alega que o processo tem como motivo danos morais coletivos causados à honra e à imagem da categoria médica piauiense. O valor da indenização não foi divulgado pelo CRM.

A vice-governadora do Estado, Regina Sousa (Foto: divulgação)

“A referida ação foi ajuizada tendo em vista as postagens realizadas pela Exma. Vice-Governadora do Estado do Piauí em sua conta na rede social Twitter, tachando os médicos de ‘Racistas e xenófobos’, quando repostou mensagem ofensiva à classe médica piauiense”, diz trecho de nota publicada no site do Conselho.

Relembre o caso

Através de seu perfil pessoal na rede social Twitter, Regina Sousa disse que os “médicos brasileiros preferem que as pessoas morram do que ter concorrência de médicos de Cuba”. “Mesmo que essa concorrência seja só pra provar que muitos médicos brasileiros são tão incompetentes quanto o Ministro da Saúde Nelson do 3° Reich!”, completou a vice-governadora, em postagem feita nesta terça-feira (28).

Em resposta, publicada no último dia 29, o CRM classificou os comentários de “descabidos, injustos e ofensivos”.

“Com efeito, o que se espera, sobretudo neste momento de combate à pandemia causada pelo novo coronavírus (COVID-19), é que os médicos e demais profissionais de saúde tenham o devido reconhecimento e respeito por estarem na linha de frente dessa árdua batalha, a qual tem vitimado inclusive estes profissionais que têm colocado em risco suas próprias vidas em prol da vida de seus pacientes”, diz outro trecho da manifestação da entidade.

Em nova postagem no Twitter, feita no mesmo dia da publicação do repúdio do Conselho, Regina reafirmou as críticas: “Num momento em que se antecipa a diplomação de jovens, que nem terminaram seus cursos, mas estão nos hospitais salvando vidas. Rejeitar os cubanos é racismo e xenofobia, isso eu reafirmo.”

Leia também