10/07/2020

Polícia

Militares protestam por salários em frente ao Karnak

O presidente da Associação dos Oficiais da PM-PI, Major Diego Melo, disse que os militares estão passando fome e não podem trabalhar desse jeito. Segundo […]

Publicado por: Luciano Coelho Repórter: Luciano Coelho 18/02/2020, 11:16

O presidente da Associação dos Oficiais da PM-PI, Major Diego Melo, disse que os militares estão passando fome e não podem trabalhar desse jeito. Segundo o oficial, em entrevista à Teresina FM 91,9, o manifesto de protesto acontece hoje na frente do Palácio de Karnak a partir das 8h.

Diego Melo diz que os PMs querem pelo menos a reposição da inflação que não é feita há cinco anos. Segundo ele, as perdas são de mais de 20% nos salários dos militares. “Queremos que os policiais militares compareceram com suas famílias e amigos para nos manifestarmos sobre isso. Estaremos com um carro de som em frente ao Palácio de Karnak”, informou aos ouvintes da Teresina FM.

Major Diego Melo, presidente da Amepi, em entrevista na Teresina FM 91,9

O presidente da Amepi disse que a lei garante a reposição da inflação. “Mas o governo está nos enganando e estamos no prejuízo. Esse salario da PM do Piauí é um dos piores do Brasil. O salario de um aspirante a oficial é menor que um agente da Polícia Civil. O salario de um coronel é menor do que o de um delegado. Essa situação está ficando insustentável e estamos reivindicando os direitos que estão previstos na Constituição. E vamos à Justiça para isso”, adiantou o militar.

Protesto dos militares foi na frente do Palácio de Karnak

A associação está mobilizando os militares, os familiares, os amigos dos PMs para engrossarem a manifestação com carro de som em frente ao palácio do governo. “Salário é alimento. Estamos todos mobilizados desde 2015. Esse será um ato a mais nessa luta. Mas chegamos ao limite. O governador deveria ter a hombridade de repor a inflação. Muitos Pms não têm condições de trabalhar por falta de alimentos. Estamos convocando a todos, os pensionistas, inativos, as mulheres, os da ativa para se manifestarem e, se preciso, vamos para a avenida Frei Serafim”, finalizou Diego Melo.

 

Leia também

Contato
  • (86) 99972-0111
  • redacao@notempo.com.br
No Tempo