06/08/2020

Geral

Depois de acordo com MPT, Sintetro decide interromper greve no transporte coletivo de Teresina

Por Wanderson Camêlo O Ministério Público do Trabalho (MPT) conseguiu costurar um acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários no Estado […]

Publicado por: Luciano Coelho 02/07/2020, 14:31

Por Wanderson Camêlo

O Ministério Público do Trabalho (MPT) conseguiu costurar um acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários no Estado do Piauí (Sintetro), com isso a greve no transporte público de Teresina, que já dura mais de um mês, terá fim ainda nesta semana.

Depois da negociação, estabelecida através de videoconferência, no último dia 29, ficou definido que, nos horários de pico, 70% da frota estará nas ruas, com funcionamento de no mínimo três horas durante a manhã e no mínimo três horas durante a tarde e à noite (de segunda a sexta-feira nos dois turnos, e no sábado até às 14h). Já nos demais horários, apenas 30% da frota irá atender a população.

Sede do Sintetro, localizada no Centro de Teresina (Foto: Wanderson Camêlo)

O vice-presidente do Sintetro, Ajuri Dias, destacou que a contrapartida apresentada foi a manutenção do salário e benefícios dos motoristas e cobradores.

“A nossa contraproposta é de manutenção dos termos da convenção coletiva anterior, garantindo os salários e os benefícios. Entendemos que, neste momento, a categoria não suporta ficar sem seus benefícios, tanto o plano de saúde, como a questão dos tickets. Essa proposta não tem nenhuma garantia que [os benefícios] retornem novamente”, afirmou Ajuri.

O vice-presidente do Sintetro, Ajuri Dias (Foto: divulgação)

Os horários de funcionamento dos ônibus coletivos serão definidos de acordo com as ordens de serviço da Superintendência Municipal de Transportes (STRANS).

Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) afirmou que avalia uma “consistente proposição para poder restabelecer os serviços aos cidadãos teresinenses”.

Leia também

Contato
  • (86) 99972-0111
  • redacao@notempo.com.br
No Tempo