ÚLTIMAS
Governo reúne equipe e economista para buscar soluções para Previdência   //   Bolsonaro assina decreto que facilita posse de armas  //   PRF fez mais de 2 mil autuações por ultrapassagem proibida e excesso de velocidade no Piauí  //   Conta de energia sofre reajuste e sobe 12,64% no Piauí a partir de dezembro   //   Economia brasileira cresce 1,74% no terceiro trimestre, diz Banco Central  //  

Quinta, 21 de fevereiro de 2019
DOMINGOS BEZERRA
A greve é abusiva
DOMINGOS BEZERRA - 08/02/2019 16:08
Compartilhar
Download


O que é razoável? Você sabe muito bem o que é razoável.

Diz o site significando.com.br, que “a palavra razoável é usada para caracterizar coisas ou situações logicamente plausíveis ou racionais, aceitáveis pela razão, com bom senso, sensatos, justos e compreensíveis por se basearem em razões sólidas. Além disso, a palavra razoável também é usada para se referir àquilo que não é excessivo, ou seja, que está em quantidades moderadas, ou ainda ao que não é excelente, mas é bom, ou seja, é aceitável.

“A palavra razoável vem do substantivo razão, cuja origem está no latim “ratio”, que significa medida, cálculo ou proporção. Sendo assim, entendemos que a palavra razoável é usada para se referir àquilo que é bom, porém não é excelente, está na medida certa, sem exageros”.

Historicamente presenciamos exageros em todas as áreas. Mas agora quero referir-me a um exagero que prejudica boa parte da população: A greve dos motoristas e cobradores de ônibus.

Milhares de estudantes, donas de casas e trabalhadores dos mais variados setores estão há cinco dias prejudicados pelo movimento, que é legítimo, autorizado por lei, mas uma ação originária das incompreensões dos tempos modernos.

As incompreensões, generosas em seus resultados maléficos às pessoas, são naturais, é claro, mas a elas devem ser dadas soluções. Diante das incompreensões deveria haver a prevalência do diálogo, da negociação, do entendimento.

A greve no transporte coletivo vem-se confirmando elemento integrante – e desintegrador – do calendário turístico, estudantil e profissional de Teresina. {Salvo engano, em setembro do ano passado, houve uma paralisação em protesto aos assaltos nos ônibus da cidade}.

Ora, direito é uma garantia conquistada em lei, mas a lei, que precisa ser aplicada, precisa ser respeitada, carece de compreensão e razoabilidade. Sem razoabilidade não há, desculpem a redundância, razão para a existência da lei.

Em qualquer situação, a razoabilidade é uma exigência para a convivência pacífica e para o estabelecimento dos direitos, das garantias e dos deveres dos cidadãos. Assim ocorre igualmente com as instituições sociais, públicas ou privadas.

Costuma-se dizer em todas as direções que o seu direito acaba quando começa o do vizinho. E todos têm direitos e deveres.

Os usuários é que sustentam o sistema de ônibus com o auxílio do resto da população, do contribuinte, aquele que paga impostos. E aí entra quase todo mundo. Mas também aquele que oficialmente não paga impostos, como o estudante que não trabalha, tem direito ao respeito das instituições públicas e privadas, não interessa quais sejam elas.

Devemos ter cuidado para não capitalizar tudo. A vida não é feita só de capital, mas de humanidade, de respeito aos direitos da pessoa humana.

E esta greve perdeu o tom da razoabilidade e do direito. Ela é abusiva. Não adianta procurarmos culpados. Isso não nos interessa. Todos os operadores do sistema de transporte coletivo são responsáveis, todos têm a sua parcela de culpa, se assim preferem que falemos.

Tá bom. Basta de desrespeito!

Esta é a ideia.

Editorial do Jornal da Teresina 2ª Edição de 08.02.19. 

Teresina FM-TV
Teresina FM-Rádio

Teresina FM-Site
Enquete
O que você espera do presidente eleito Jair Bolsonaro?

O país vai melhorar
O país vai piorar
Não vai acontecer nada


FATO
A sua
revista
eletrônica
No Tempo é o seu portal de notícias, política, entretenimento e muito mais. O complexo de comunicação trabalha a todo momento, para deixar você mais atualizado.


Fale Conosco
E-mails
Quem Somos
Redes Sociais