ÚLTIMAS Bolsonaro assina decreto que facilita posse de armas  //   PRF fez mais de 2 mil autuações por ultrapassagem proibida e excesso de velocidade no Piauí  //   Conta de energia sofre reajuste e sobe 12,64% no Piauí a partir de dezembro   //   Economia brasileira cresce 1,74% no terceiro trimestre, diz Banco Central  //   Falta de pessoal ameaça realização do censo do IBGE em 2020  //    
Quinta, 24 de janeiro de 2019
  Publicidade
Luciano Coelho - 08/11/2018 17:48


Dever de Casa

 
Está na moda o envio de cartas com sugestões sobre o que poderia ser feito para melhorar a gestão pública. O senador Ciro Nogueira entregou uma carta para o governador Wellington Dias sugerindo a redução no tamanho da máquina do Estado, com a diminuição do número de coordenadorias e secretárias, dentre outras medidas de economia.
 
Essa carta que foi entregue pelo próprio senador em mãos ao governador com um trabalho técnico  propondo mudanças na previdência social, reestruturação da máquina administrativa, nova política de recursos humanos, implantação de plano de racionalização das despesas de custeio e a definição de prioridades para o plano de desenvolvimento econômico do Estado.
 
Mas os aliados até hoje se fala nessa carta. Onde vai cortar? O que vai extinguir? Onde e como enxugar? E o mais preocupante para a base do governo: Quem vai ficar de fora dessa estrutura depois dos cortes? Isso sim, preocupa os políticos. Afinal, só é oposição quem não pode ser governo.
 
Pois bem, a moda da carta pegou. O vereador Dudu do PT diz que participou da campanha e ajudou a eleger o senador Ciro Nogueira. Portanto, ele sugeriu um mandato participativo e, assim como Ciro sugeriu medidas para Wellington, Dudu quer a oportunidade de indicar pessoas para o gabinete e também indicar a destinação das emendas do senador. Não sei se isso é chumbo trocado ou fogo amigo.
 
Mas o engraçado é que essas orientações com o discurso de enxugamento da máquina, cortes, reestruturação do tamanho do Estado só aconteceu mesmo depois das eleições. Até porque, antes não seria possível manter esse tipo de discussão, sob o risco de não conseguirem êxito nas urnas.  Nesse caso, a revolta começaria por parte dos próprios aliados.
 
Bem, pois vamos para a prática. O governo diz que vai cortar na própria carne. Se é que ainda tem carne. De tanto problema, já estamos só a pele e os ossos, e sobra muito pouco para cortar. Se o essencial não está funcionando, vai cortar o que mesmo? Será que ainda existe supérfluo no Governo? Não acredito nisso! E justiça seja feita, Wellington Dias no início do governo enxugou a máquina. Só que depois a inchou de novo.
 
Por outro lado, temos situações estáveis. Não favoráveis, mas estáveis. A Prefeitura de Teresina por exemplo. Foi destaque em educação, mobilidade e urbanismo. A prefeitura adotou um planejamento, com a contratação de uma consultoria que ajudou a identificar gorduras que poderiam ser queimadas na administração municipal, desde o início da administração.
 
Várias medidas foram adotadas que inicialmente resultou numa economia de R$ 60 milhões. E não pararam por aí. Tem um monitoramento semanal para continuar reduzindo despesas e enxugando gastos. Houve ações para reduzir os gastos com despesas com aluguel de imóveis, com locação de carros dentre outros.
 
Já que existe uma parceria administrativa entre os governos de Firmino Filho e de Wellington Dias. E o senador Ciro Nogueira, o autor da carta, é amigo dos dois, e já apontou os problemas da administração estadual, nada mais justo que ele faça esse meio de campo para que o Estado possa adotar o modelo da Prefeitura para cortar os gastos no Governo. Se a Prefeitura conseguiu, porque o Governo do Estado não consegue? Nem que seja cortando no osso, já que na carne está difícil!






RELACIONADAS
:: Eu e o Diabo na terra do sol
:: Posse de arma, uma ideia ruim
:: Quem representa os advogados
:: Nem vencidos nem vencedores
:: Bolsonaro precisa convencer Congresso a aprovar reformas
:: O Piauí que queremos
:: Onde estão os utopistas?
:: A dona de casa
:: Atribuições do presidente da República
:: O Estado mínimo
:: A indicação de Sérgio Moro e a corrupção
:: Brasil deve escolher modelo para posse e porte de arma
:: Brasil deve escolher modelo para posse e porte de arma
:: O Crime de estupro
:: Crise Financeira
:: Transição de Governo
:: A questão da saúde pública é uma questão de polícia?
:: O fim polêmico do Ministério do Trabalho
:: E agora, José?
:: Alberto Silva e o Piauí
:: Temos que combater a cultura do desperdício
:: Um homem a frente do seu tempo
:: Temos que combater a cultura do desperdício
:: Empreender no Piauí
:: FHC: Não há espaço para as pessoas razoáveis
:: Educação de excelência
:: O que vem por aí?
:: República nasceu de um golpe militar
:: A dona de casa
:: Corrupção no Brasil virou filme
:: A polêmica dos médicos cubanos
:: Dia da Bandeira representa mudança na forma de governar
:: A conta da miséria no Brasil
:: Privatização à vista
:: Mais Médicos e a assistência à saúde
:: A conta da previdência não fecha
:: Desserviço leva à privatização
:: Bolsa Família favorece frequência escolar
:: Governo gasta o que não tem
:: Divisão do orçamento desagrada representantes dos poderes
:: A maternidade pede Socorro
:: Impunidade no Brasil
:: Falta de energia trava crescimento do Estado
:: Ainda a impunidade
:: A segurança pública e a responsabilidade de todos
:: Amargo que nem jiló
:: É preciso mudar o modelo de segurança pública no país
:: Antes tarde do que nunca!
:: O que são as PPPs?
:: O Piauí de riquezas e sem desenvolvimento
:: O sonho
:: As Parcerias Público-Privadas em debate
:: Calma, a República não caiu; apenas certos “líderes”
:: A lei e o crime
:: Vida de juiz
:: É preciso repensar o modelo de PPPs
:: A vida
:: Presídios superlotados: um desrespeito aos direitos humanos
:: Os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos
:: Honestidade, um bem necessário
:: O discurso de Bolsonaro
:: O espiritismo é do bem
:: Como construir um novo país sem escravidão?
:: Noite de trevas
:: A necessidade do jornalismo
:: O nó do afeto
:: Reformas trabalhistas devem ser discutidas com profundidade
:: Um país sem leitores
:: Diplomação de eleitos sugere repensar o Piauí
:: Réquiem para um Divino vivo
:: Independência e ética na gestão pública
:: Falta um herói
:: Privilégios e a permanência da injustiça
:: E agora, Brasil?
:: É Natal, de novo!
:: O Natal de todos os dias de nossas vidas
:: Os políticos e a vida de todos nós
:: O Brasil e suas espertezas
:: O pato manco e a ingratidão
:: Piauí não aceita mais a onda de latrocínios
:: Adeus Ano Velho, bem vindo Ano Novo
:: Mais um ano se vai e se renovam as esperanças
:: ERA PRA SER UM CONTO DE NATAL
:: Novo governo deve ser novo, para se adequar às novas exigências
:: O Xerife do Brasil
:: Os pilares da nova gestão segundo Paulo Guedes
:: “O ALIENISTA”, OS LOUCOS DIAS DE HOJE E A IGNORÂNCIA OSTENTAÇÃO
:: O crime não compensa
:: A cassação de Wellington
:: Plano de Saúde desrespeita Constituição Federal e CDC
:: Político precisa aprender a ser transparente e verdadeiro
:: Como tratar um bandido?
:: O desafio de Bolsonaro
:: Saudade, saudade!
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: Editorial 11.01.19 A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: A questão da liberação da posse de armas no Brasil
:: O Piauí e sua velha rural
:: Bolsa Família ajuda na frequência escolar em Teresina
:: Hipocrisia tem quer ter limite
:: Hipocrisia tem quer ter limite
:: Desigualdade de renda persiste no Brasil
:: Que Deus tenha misericórdia
:: Ponto de vista e falta de sinceridade
:: Autoridade não tem direito a bravatas
:: Não somos generosos
:: O que Regina Sousa pode fazer?
:: Qual é o país que queremos construir e nele viver?
:: Renovação na política
:: A casa caiu
:: Não somos generosos
:: O distante Jordão e o Piauí
:: A presença de Bolsonaro no Fórum Econômico Mundial
:: A casa caiu
:: Um presente de aniversário

Compartilhar


 

 
Teresina FM-TV


Teresina FM-rádio


Teresina FM-Site

Enquete
O que você espera do presidente eleito Jair Bolsonaro?

O país vai melhorar
O país vai piorar
Não vai acontecer nada








No Tempo é o seu portal de notícias, política, entretenimento e muito mais. O complexo de comunicação trabalha a todo momento, para deixar você mais atualizado.


Fale Conosco
E-mails
Quem Somos
Redes Sociais

 

 

 



  Prefeito passa mal e fica em observação no hospital
     
  Paralisação no transporte público de Teresina acontece nesta terça-feira (22)
     
  Polícia Civil realiza operação com intuito de cumprir mandados e recuperar veículos roubados
     
  Turma do Badminton na Escola viaja ao Peru e retorna com seis medalhas
     
  Deputado aciona o MP para concluir obras de esgoto em 40 cidades
     
 
Em Cima do Fato

Avenida Jóquei Clube, 705 – Jóquei,
Teresina – PI, CEP: 64049-240
Fones: (86) 99942-4939 / 99937-2100
E-mail: contato@notempo.com.br